Política

Bolsonaro diz que quem pede mais vacinas é 'imbecil'





O presidente afirmou que o Brasil já recebeu 'milhões de doses' e que quem cobra mais imunizantes é 'mal-intencionado, mau-caráter ou imbecil'. Bolsonaro também criticou medidas de isolamento social, questionou as taxas de ocupação de leitos e levantou suspeitas sobre eficácia de vacinas. Já o novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, voltou a falar em medidas restritivas e disse que vai 'seguir recomendações da ciência'.

Centrão não gostou da indicação de Queiroga para o Ministério da Saúde

Maria Cristina Fernandes afirma que parlamentares do centrão e família Bolsonaro disputam influência nas decisões relativas ao combate à pandemia. Para ela, derrubada de vetos de Bolsonaro no Congresso foi resposta à nomeação de Marcelo Queiroga, indicado por Flavio Bolsonaro, para o Ministério da Saúde.

'Quem vai botar dinheiro em um país cujo presidente é um desestabilizador?'

Carlos Andreazza fala sobre o aumento da taxa de juros, uma reação à pressão inflacionária, 'uma realidade entre nós'. Andreazza questiona 'quem investiria em um país que se deixou sequestrar pelo vírus e é governado por um presidente que é o principal agente desestabilizador, que é um centro gerador de imprevisibilidade, matriz da insegurança entre nós'. Carlos Andreazza e Marcella Lourenzetto também destacaram a situação da pandemia no Brasil e a expectativa por mais vacinas.

 

Fonte: CBN