Colunas

Amapaenses pretendem trocar televisão para a Copa do Mundo





 

Pesquisa realizada pelo IPDC mostra que 54% da população amapaense pretende mudar seu aparelho de televisão ou por causa dos jogos da Copa ou pela mudança da transmissão digital.

 

O amapaense, como todo brasileiro, ama futebol e pretende buscar as melhores imagens para assistir à Copa do Mundo de 2018. Isso se dá pelo fato de que o consumidor amapaense pretende comprar uma nova televisão nesse mês de junho. É o que revela a pesquisa realizada pela Fecomércio Amapá, por meio do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio do Amapá (IPDC), com consumidores e empresas do segmento de eletroeletrônicos para avaliar as pretensões de compra e venda de aparelhos de televisão.

A pesquisa levou em consideração também que a pessoas têm pretensão de compra de um novo televisor devido à recente mudança do sinal analógico para o digital. Com a mudança, apenas as televisões com o conversor embutido ou com conversor externo receberão a transmissão do sinal digital.

A pesquisa foi realizada no período de 17 a 19 de maio na capital amapaense e ouviu 300 consumidores. Constatou que 24% pretende adquirir um novo aparelho devido à transmissão dos jogos e 30% por conta da mudança de sinal. Para os consumidores que possuem aparelho analógico, 40% irá adquirir conversor

Nos primeiros dois meses de 2018, a produção de eletrodomésticos da linha marrom, que inclui os aparelhos de TV, aumentou 45% na comparação com o primeiro bimestre de 2017.

O ano de copa e a mudança de sinal das televisões fazem com que haja um movimento maior no comércio, além disso, o que contribui para que esse crescimento seja fortalecido é a retomada do crédito à pessoa física.

Segundo a Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros) a perspectiva é que sejam vendidos 12,5 milhões de aparelhos neste ano, – sendo 6,8 milhões no primeiro semestre.

Essa grande procura pelas televisões no comércio amapaense anima os empresários, esse crescimento nas vendas faz com que as empresas aumentem seu estoque. Atualmente, 81% das empresas aumentaram seus estoques prevendo aumento pela procura do aparelho e 81% também relatou crescimento nas vendas desse primeiro semestre em relação ao semestre passado. Para os lojistas, a estimativa é de que as vendas aumentem 42% em razão desses dois eventos (copa do mundo e mudança de sinal).

De acordo com a economista do IPDC, Beatriz Cardoso, os resultados da pesquisa são muito favoráveis ao comércio local e deve alavancar o varejo de eletrodomésticos. “A instabilidade da economia ainda assusta os consumidores, por isso estão mais cautelosos quanto a assumir novas dívidas”, lembrou a economista. 

No Brasil

O Polo de Manaus, onde concentra toda a produção brasileira de televisores, contratou novos funcionários para conseguir cobrir a demanda desse primeiro semestre. O que deixa otimista a economia do Brasil para este ano.

Desde do ano passado, as vendas de aparelhos de TV vem crescendo gradativamente. De janeiro a setembro, as vendas de televisores cresceram 31%, empurradas principalmente pela queda dos juros.

O Brasil é um mercado com enorme potencial. Pesquisas mostram que existem mais de 40 milhões de TVs de tubo instaladas nos lares brasileiros, o que corresponde a cerca de 40% do total de aparelhos. Com a nova forma de transmissão da televisão, passando de analógica para digital, o brasileiro pretende trocar os aparelhos que tem em casa, o que gera uma aquecida em todo comércio.

 Redação