Política

Irã pede retorno dos EUA ao acordo nuclear; veja repercussão da posse de Biden





Joe Biden assume como o 46º presidente eleito do Estados Unidos nesta quarta-feira (20). O democrata deve promover uma série de mudanças com relação à política externa, num caminho oposto ao republicano Donald Trump.

Líderes mundiais começaram a reagir à posse de Biden, oferecendo parabéns, disputando uma posição na vanguarda de sua agenda política e, em alguns casos, solicitando uma reversão das decisões dos Estados Unidos nos últimos anos.

Irã

Dentre os pedidos, está o realizado pelo presidente do Irã, Hassan Rohani, que solicitou a Biden que os Estados Unidos retornem ao acordo nuclear de 2015 e retire as sanções impostas pelo governo Trump ao país. Em uma reunião ministerial, Rohani disse que "a bola está com os americanos".

"Se Washington retornar ao acordo, nós vamos respeitar completamente as nossas obrigações", disse o presidente iraniano, que qualificou o governo Trump como "uma era de tiraria que hoje chega a seu final". "Trump não deu outros frutos que não a injustiça e a corrupção, além de causar problemas para seu próprio povo e o mundo todo."

Tensões entre Washington e Teerã aumentaram desde que Trump abandonou o pacto e chegaram ao ápice quando os EUA, no ano passado, mataram o general Qasen Soleimani, chefe da Guarda Revolucionária do Irã.

Nas últimas semanas, analistas temeram a movimentação de ativos militares no Golfo a dias da posse de Biden.

União Europeia

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, destacou que a Europa voltou a ter um “amigo” com a posse de Biden. "Mais uma vez, depois de quatro longos anos, a Europa tem um amigo na Casa Branca" "Este novo amanhecer na América é o momento que esperamos por tanto tempo. A Europa está pronta para um novo começo com nosso parceiro mais antigo e confiável", disse ela no Parlamento Europeu em Bruxelas, Bélgica.

Von der Leyen disse ainda que a posse de Biden será "uma mensagem de cura para uma nação profundamente dividida e será uma mensagem de esperança para um mundo que espera que os EUA voltem ao círculo de Estados com interesses semelhantes".

China

Horas antes da posse, Pequim expressou esperança de que Biden "olhasse para a China de forma racional e objetiva" para reparar "graves danos" nas relações bilaterais causados pela presidência de Trump.

"Nos últimos quatro anos, o governo dos Estados Unidos cometeu erros fundamentais em sua percepção estratégica da China ... Interferindo nos assuntos internos da China, suprimindo e difamando a China e causando sérios danos às relações China-EUA", disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Hua Chunying. disse em uma coletiva de imprensa na quarta-feira.

Alemanha

O presidente alemão disse que estava aliviado pelo fato de Biden ser empossado nesta quarta-feira, chamando-o de "um bom dia para a democracia".

"Nos Estados Unidos, (a democracia) resistiu a muita pressão", disse Frank-Walter Steinmeier em um comunicado. "Apesar da hostilidade interna, as instituições dos Estados Unidos têm se mostrado forte", disse ele. "Estou aliviado por Joe Biden tomar posse como presidente hoje e vir para a Casa Branca. Sei que esse sentimento é compartilhado por muitas pessoas na Alemanha”, declarou.

Reino Unido

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse estar ansioso por um relacionamento próximo com o governo Biden. "Como eu disse quando falei com ele (Biden) sobre sua eleição como presidente, estou ansioso para trabalhar com ele e com sua nova administração, fortalecendo a parceria entre nossos países e trabalhando em nossas prioridades comuns: do combate às mudanças climáticas, reconstruindo melhor da pandemia e fortalecimento de nossa segurança transatlântica ", disse Johnson no parlamento.
Com informações de Ramin Mostaghim e James Griffiths da CNN, em Washington.

Fonte; CNN Brasil