Política

Washington em estado de emergência para posse de Biden





O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, aprovou ontem uma declaração de emergência para Washington que durará até 24 de janeiro, disse a Casa Branca, depois de autoridades alertarem sobre ameaças de segurança para a posse do presidente eleito Joe Biden, no dia 20 de janeiro.

A decisão ocorre depois das cenas de violência vistas na última semana, quando a invasão do Congresso Americano por apoiadores de Trump provocou a morte de cinco pessoas. O presidente é acusado de incitar o protesto e é alvo de uma tentativa de impeachment de democratas que querem sua saída antes mesmo da posse de seu sucessor Joe Biden,

 

Motivados por Trump, apoiadores se reuniram na última quarta-feira (6), nas proximidades do Capitólio, para protestar contra a certificação da vitória de Joe Biden na eleição de 2020. Depois de esgotar todas as opções para tentar reverter o resultado das eleições de novembro, Trump apelou para seus apoiadores, convencendo-os de que era possível impedir a oficialização de Biden e Kamala Harris.

A invasão aconteceu pouco depois de a sessão conjunta do Congresso ser interrompida por uma objeção, por parte de parlamentares republicanos, ao resultado do pleito no estado do Arizona, vencido por Biden.

Deputados e senadores tiveram que se esconder embaixo de suas cadeiras, e o vice-presidente Mike Pence foi retirado do prédio.

Além de policiais, atiradores de elite e outras forças de segurança foram acionados para conter os manifestantes. Ao menos cinco pessoas morreram, segundo a polícia de Washington.

O tumulto, porém, não impediu a continuidade da sessão, que foi retomada às 20h locais (22h de Brasília) e terminou por certificar Biden durante a madrugada.

*Com informações da agência Reuters.

Fonte: UOL