Saúde

“Todos os casos suspeitos de febre amarela foram descartados”, diz Sesa





 

A Secretaria de Estado da Sesa (Sesa) emitiu uma nota de esclarecimento acerca dos casos de febre amarela no Amapá. De acordo com a publicação, “não há casos confirmados de febre amarela no Estado [...]. Todos os casos suspeitos de febre amarela foram descartados”.

Na semana passada, o Ministério da Saúde (MS) atualizou os dados de febre amarela no país. O levantamento traz informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde entre 1º de julho de 2017 e 27 de março de 2018. Nesse período, foram notificados cinco casos no estado do Amapá, sendo que dois deles foram descartados e três estavam sob investigação. Apesar das investigações, o estado ainda não registrou nenhuma confirmação ou óbito pela doença.

De acordo com a Sesa, os casos que estavam sob investigação foram notificados entre 1 de janeiro e 24 de março deste ano, sendo 1 no município de Macapá e 2 em Santana. Em 2017, durante todo o ano, foram 24 casos notificados em Ferreira Gomes (1), Macapá (8) e Santana (15). Neste último município, 3 casos são oriundos do Pará. Sendo todos descartados.

De acordo com o último boletim do MS, 4.414 casos de febre amarela foram notificados em todo o país entre julho do ano passado e março de 2018. Desses, 1.131 foram confirmados, 2.368 descartados e 338 óbitos registrados. Outros 915 casos da doença estão sob investigação. Entre julho de 2016 e março de 2017, foram 660 confirmações da doença e 210 óbitos no Brasil.

De acordo com o MS, os registros de febre amarela seguem a sazonalidade da doença, isso porque a incidência da doença, que é maior durante o verão. O Ministério afirmou que atualmente, o vírus causador da febre amarela circula em áreas metropolitanas, que possuem maior concentração de massa populacional.

Entre a sazonalidade atual e passada, houve um grande aumento da população alcançada pelo vírus. Entre julho e março de 2017/18, o surto da doença atingiu cerca de 9,8 milhões de pessoas. Já o alcance atual do vírus no país é de 35,8 milhões de pessoas.

Campanha de Vacinação

O Ministério da Saúde repassou aos estados e municípios brasileiros 20,2 milhões de doses vacinas para a campanha de 2018. A pasta reforça a importância da vacina nos estados com maior incidência e área de risco para a doença, onde estão ocorrendo surtos no país, como Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia.

Além desses estados, a vacina contra febre amarela faz parte da rotina do Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Maranhão, Piauí, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A população desses municípios toma uma dose da vacina e ficam protegidas durante cerca de 10 anos.

Na capital amapaense, as Unidades de Saúde (UBS’s) estão abertas entre 8h e 17h, de segunda à sexta-feira, e dispõem da vacina em seus estoques.

Febre Amarela

É uma doença infecciosa causada por mosquitos vetores, que a transmitem de duas formas: urbana e silvestre (em área rural ou floresta). O vírus é transmitido pela picada do mosquito e não há a transmissão entre pessoas. De acordo com o Ministério da Saúde, “a doença tem importância epidemiológica por sua gravidade clínica e potencial de disseminação em áreas urbanas infestadas pelo mosquito Aedes aegypti”.

 Redação