Cotidiano

Assinada autorização de contrato para levar energia elétrica a famílias do Marajó





Serão instaladas placas fotovoltaicas nas residências que ainda não possuem acesso à energia elétrica e estão distantes das redes de distribuição

Foi dada a largada para o início dos serviços que vão levar energia elétrica à população dos municípios da Ilha do Marajó (PA), por meio do Programa Mais Luz para a Amazônia. A ação faz parte do Abrace o Marajó, do Governo Federal, que foi lançado, em Breves (PA), nesta sexta-feira (9), e conta com mais de cem iniciativas para a região.

A autorização do primeiro contrato do programa foi assinada em cerimônia que contou com a presença do Presidente da República, Jair Bolsonaro e do Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. 

A distribuidora de energia do Estado, Equatorial Energia Pará, poderá dar início aos projetos de sistemas de geração fotovoltaica nas residências de famílias marajoaras, que, até então, utilizavam gerador movido a óleo diesel. Esses painéis fotovoltaicos vão gerar energia elétrica a partir de fonte renovável para as famílias que vivem longe das redes de distribuição.

Segundo o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, é mais dignidade e cidadania às famílias da região. “Em dois anos, todas essas pessoas terão luz, dignidade, cidadania”, disse o ministro. “Isso, é não deixar ninguém para trás, como o Presidente Bolsonaro nos orienta”.

Com o Mais Luz para a Amazônia, deverão ser feitas mais de 10 mil ligações nos próximos dois anos. O que permitirá o fomento das atividades voltadas à ampliação da renda familiar, o uso sustentável dos recursos naturais da região, a preservação ambiental, a fixação e a inclusão das comunidades tradicionais.

Programa Mais Luz para a Amazônia

O Programa Mais Luz para a Amazônia foi lançado pelo Governo Federal em fevereiro deste ano para promover o acesso à energia elétrica da população brasileira localizada nas regiões remotas dos estados da Amazônia Legal. O programa visa ajudar no desenvolvimento social e econômico destas comunidades, que vivem, essencialmente, da pesca, da produção de farinha e da extração de castanhas e frutas.

O Mais Luz para Amazônia vai atender mais de 350 mil pessoas. São cerca de 80 mil ligações que serão realizadas na região Norte do país, com investimentos de mais de 3 bilhões de reais. Só na Ilha de Marajó, serão 42 mil pessoas beneficiadas, com recursos de R$ 3 milhões.

A partir da instalação da energia elétrica, as comunidades também poderão receber outras políticas públicas, como escolas e postos de saúde.

O Programa propõe atender a população residente em regiões remotas dos estados que compõem a Amazônia Legal: Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Tocantins e Maranhão, e que ainda não têm acesso a esse serviço público.

“Estamos levando energia para aqueles que nunca tiveram essa oportunidade; e isso será muito importante para o desenvolvimento sustentável deles”, finalizou o ministro Bento Albuquerque.

Fonte: www.gov.br