Esporte

Russell vence e faz dobradinha com Hamilton em Interlagos





Foi um fim de semana perfeito para o britânico George Russell, que deve ter guardado as curvas de Interlagos para sempre na mente e no coração. Aos 24 anos e em sua primeira temporada como piloto da Mercedes, ele, que dirige karts desde os oito anos, conquistou a primeira vitória de sua carreira depois de uma pilotagem limpa e tranquila no GP de São Paulo na tarde de hoje.

O jovem de 24 anos começou a prova na pole, fez uma largada tecnicamente impecável, cravou a melhor volta do circuito e se manteve na frente durante toda a prova para vencer a penúltima etapa da temporada.

Para completar o domingo mágico em que viu a bandeira quadriculada se agitando pra ele pela primeira vez, Russell também viu o companheiro de equipe Lewis Hamilton pelo retrovisor, em segundo, fazendo com ele uma inesperada dobradinha da Mercedes no Brasil. O ferrarista Carlos Sainz completou o pódio em terceiro.

"Isso é só o começo", disse Russell aos engenheiros da Mercedes após cruzar a linha de chegada. Ele ainda pediu um lenço para enxugar suas lágrimas.

A dupla da Mercedes foi beneficiada pelo próprio talento e pela imperícia — ou azar — dos principais concorrentes no começo da prova. Max Verstappen (Red Bull), o atual e antecipado campeão, bateu em Hamilton no começo da corrida e provocou uma onda de fúria na torcida brasileira. O holandês foi aos boxes e acabou punido em cinco segundos, perdendo as chances de brigar pela ponta.

Pouco depois, Charles Leclerc (Ferrari) foi atingido por Lando Norris (McLaren), bateu nos pneus e também ficou fora da disputa no pelotão principal.

Cabe também uma menção honrosa para Fernando Alonso (Alpine), que fez uma prova de recuperação digna de campeão mundial e acabou na 5ª posição.

Verstappen bate em Hamilton e leva punição

Max Verstappen bateu no carro do rival Lewis Hamilton no S do Senna, após a saída de uma bandeira amarela no começo da prova. A batida levou aos boxes o piloto da Red Bull. Muito vaiado pelo público, Verstappen também pegou cinco segundos de punição por ter sido considerado o culpado pelo acidente.

Já Hamilton, que defendia a segunda posição do avanço do rival, se manteve na pista, mas caiu para oitavo. Em sua recuperação, levantou o público em cada ultrapassagem — como sobre Vettel e Norris.

O incidente entre os campeões deixou não só marcas de pneu na pista, mas também peças. Parte da estrutura do carro da Red Bull permaneceu no asfalto durante toda a corrida. Como os detritos ficaram na parte de fora da curva, os oficiais optaram por não convocar uma bandeira amarela.

Leclerc sai da pista, mas se recupera

Na mesma relargada em que Hamilton e Verstappen se tocaram, Leclerc foi atingido por Norris, bateu nos boxes de proteção e precisou ir aos boxes para reparo.

A corrida do ferrarista ficou bastante prejudicada, mas ele conseguiu se recuperar e contou com a sorte diante de um safety car na parte final da prova.

Durante a corrida, Leclerc ultrapassou metade do grid, inclusive o mexicano Sergio Pérez (Red Bull), com quem ele briga pelo vice-campeonato da temporada.

Chuva ameaça, mas não cai

Como já é tradição, Interlagos reservou surpresas climáticas para a prova. Desde a volta 15, o tempo "virou" com as nuvens encobrindo o sol que castigou os torcedores desde a manhã. O movimento era esperado por algumas equipes, mas quebrou a cabeça dos mecânicos.

A garoa teve início na volta 47, deixando a dúvida sobre qual tipo de pneu utilizar ainda mais latente entre os funcionários das equipes. Para piorar qualquer tipo de estratégia, a pista secou pouco tempo depois — anulando qualquer opção de pneus intermediários.

Riccardo encerra "sensação" Magnussen na primeira volta

O dinamarquês Kevin Magnussen (Haas) se tornou o queridinho da torcida brasileira na sexta-feira, ao conquistar a pole position para a corrida sprint do dia seguinte.

Sem ver brasileiros no grid, a torcida local adotou o azarão da Haas, fez festa nas aparições dele no circuito e mostrou cartazes em homenagem ao piloto, que vivia um fim de semana mágico. Tudo, no entanto, acabou já na primeira volta, após uma barbeiragem de Daniel Riccardo (McLaren).

O australiano tocou no rival ainda na primeira volta, provocou um acidente infantil e tirou os dois carros da pista de Interlagos.

Enquanto engenheiros da Haas protestavam no paddock e a bandeira amarela era desfraldada na pista, o dinamarquês ficou desolado no gramado do circuito.

McLaren vive tarde de caos; Norris tem aniversário amargo

Não foi o dia da McLaren. Primeiro, a equipe viu Ricciardo abandonar após toque com Magnussen ainda no início da prova.

Já na metade final do GP, Norris, que fez aniversário hoje, deslizou sozinho e precisou abandonar após perda de potência.

Ao deixar o cockpit, o jovem se sentou ao lado do seu carro e se mostrou inconsolável. Foi a primeira vez desde 2019 que os dois carros da equipe deixaram de completar uma prova.

Recorde de público na história de Interlagos

Mais de 236 mil pessoas assistiram aos eventos do GP de São Paulo durante todo o fim de semana. A marca representa o recorde de público de Interlagos, de acordo com a FIA.

Entre a multidão de anônimos, alguns famosos também marcaram presença e circularam pelo paddock, se misturando aos pilotos e engenheiros.

Os apresentadores Luciano Huck e Luciana Gimenez levaram os filhos. Os surfistas Gabriel Medina, Pedro Scooby e Ítalo Ferreira também compareceram, assim como a skatista Rayssa Leal e o cantor Thiaguinho.

 

F1 - Pérez dispara contra Verstappen: Mostrou quem realmente é

Red Bull passou por uma situação delicada durante o GP de São Paulo deFórmula 1 com seus pilotos indo até o rádio e fazendo pedidos em relação às posições na pista e com Sergio Pérez disparando contra Max Verstappen após a bandeira quadriculada.

O bicampeão mundial ultrapassou o companheiro de equipe assumindo a sexta colocação após o reinício da corrida devido a um safety car e foi encorajado a ultrapassar Fernando Alonso e Charles Leclerc que estavam logo à frente.

Pérez foi informado por seu engenheiro, Hugh Bird, que se Verstappen não conseguisse ultrapassar Alonso nos momentos finais, ele lhe devolveria a posição para ajudar o mexicano em sua busca pelo segundo lugar na classificação dos pilotos. O holandês foi instruído em várias ocasiões por seu engenheiro de corrida, Gianpiero Lambiase, que permitisse a ultrapassagem de Pérez na última volta.

Contudo, isso não aconteceu. Verstappen cruzou a linha 0.4 segundos atrás de Alonso e quatro segundos acima de Pérez, que ficou em sétimo. Lambiase perguntou ao piloto após a bandeira quadriculada: “Max, o que aconteceu?”

O bicampeão mundial respondeu: “Já disse da última vez, não me perguntem isso de novo, ok? Estamos claros sobre isso? Eu dei minhas razões e mantenho isso.”

Ao cruzar a linha em sétimo e atrás de Verstappen, Pérez disparou no rádio: “Isso mostra quem ele realmente é”. O chefe da equipe, Christian Horner, também pôde ser ouvido pedindo desculpas ao mexicano.

Após a corrida, durante as entrevistas, Pérez continuou a disparar contra Verstappen: "Se ele tem dois títulos é graças a mim."

Confira o rádio na íntegra de Verstappen e Pérez 

VERSTAPPEN

Lambiase: "Max, deixe o Checo passar, por favor. 

Lambiase: "Max, o que aconteceu?"

Verstappen: "Eu já disse a vocês da última vez, vocês não perguntem isso de novo para mim, ok? Estamos claros sobre isso? Eu dei minhas razões e mantenho isso."

 

PÉREZ

Pérez: “Obrigado por isso, pessoal. Obrigada."

Horner: "Sinto muito por isso Checo."

Bird: “Vamos esclarecer tudo depois.”

Perez: “Ele mostrou quem ele realmente é.”

 

- Hamilton 'debocha' de duelo com Verstappen: Sabem como é com Max

O GP de São Paulo de Fórmula 1 também trouxe bastante movimentação fora das pistas. Lewis Hamilton não precisou de muitas palavras para descrever o duelo que teve com Max Verstappen, ainda na parte inicial da corrida. 

Durante a volta de número 7, os rivais de Red Bull e Mercedes, se tocaram na segunda perna do S do Senna. O incidente fez com que Verstappen precisasse seguir aos boxes para reparar a asa dianteira e, na visão dos comissários da FIA, o bicampeão mundial foi o culpado. Por conta disso, ele foi punido com 5s de penalização ainda durante a corrida.

Após a bandeira quadriculada, o heptacampeão foi entrevistado pelo ex-piloto de F1 Felipe Massa e falou sobre seus sentimentos à respeito da vitória de George Russell e a dobradinha conquistada pela Mercedes no Brasil e também, relatou o momento de disputa com Verstappen.

"O que posso dizer, você sabe como é com Max...", inferiu Hamilton.

"Tenho que dar grandes parabéns ao George. Ele fez uma classificação incrível ontem, então ele realmente merece. Para minha equipe, muito orgulho de todos na fábrica e aqui, este é um resultado incrível. Nós trabalhamos muito duro este ano para conseguir uma dobradinha, para conseguir uma vitória, muito obrigado."

Na sua versão dos fatos, o bicampeão mundial explicou que foi, basicamente, um incidente de corrida onde ambos estavam no limite durante a disputa. 

"Foi apenas uma boa jogada tentar dar a volta por fora, mas então eu vi que ele não tinha intenção de me dar espaço e eu não tinha intenção de recuar. Tivemos o dano na asa dianteira, mas no final do dia, estávamos muito lentos de qualquer maneira. Não havia realmente muito que pudéssemos ter feito."

Fonte: UOL