Política

Vai ter eleição, não vou melar, diz Bolsonaro sobre 2022





Depois de ofensas recorrentes, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) “elogiou” o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Luís Roberto Barroso, pela criação de órgãos de transparência das eleições e disse que, com a participação das Forças Armadas na fiscalização do processo, “não tem por que duvidar” do voto eletrônico.

A declaração foi feita em entrevista à VEJA publicada nesta 6ª feira (24.set.2021).

“O que o Barroso está fazendo? Ele tem uma portaria deles, lá, do TSE, onde tem vários setores da sociedade, onde tem as Forças Armadas, que estão participando do processo a partir de agora”, disse.

“As Forças Armadas têm condições de dar um bom assessoramento. Com as Forças Armadas participando, você não tem por que duvidar do voto eletrônico. As Forças Armadas vão empenhar seu nome, não tem por que duvidar”, declarou o presidente.

“Eu até elogio o Barroso, no tocante a essa ideia —desde que as instituições participem de todas as fases do processo”, afirmou Bolsonaro.

A fala contraria posicionamentos frequentes do chefe do Executivo, que ataca constantemente o sistema eleitoral, alega fraudes sem apresentar provas e descredibiliza a urna eletrônica. O elogio, no entanto, ignora o fato que os órgãos de transparência das eleições existem desde meados de 2009.

Bolsonaro afirmou que “vai ter eleição” e que ele não irá “melar” o processo. O presidente também disse que a chance de golpe é “zero”.

Para ele, a hipótese de impeachment também é baixa. “Quando você passa a ter o povo do teu lado, como eu tenho, bota por terra essa possibilidade”.

O presidente também falou sobre a relação com o STF (Supremo Tribunal Federal) e a nota de recuo.“Não sou o Jairzinho paz e amor, mas a idade dá certa maturidade”.

De acordo com ele, Michel Temer (MDB) ofereceu ideias para a pacificação. “Ele falou para mim: ‘O que a gente pode fazer para dar uma acalmada?’. Respondi que o que eu mais queria era acalmar tudo”.

Sobre a relação com o Legislativo, Bolsonaro disse que “está bem”. “Considero que estou bem com o Parlamento hoje em dia. Não vou entrar em detalhes nem de quando e nem quem foi, mas pretendo destravar a pauta nesta semana”.

O chefe do Executivo falou sobre a economia e a inflação. “Reconheço que o custo de vida cresceu bastante aqui, além do razoável, mas vejo perspectivas de melhora para o futuro”, disse.

Bolsonaro disse ainda que não tem nenhuma vontade de demitir o ministro da Economia, Paulo Guedes. “Não existe nenhuma vontade minha de demiti-lo. Vamos supor que eu mande embora o Paulo Guedes hoje. Vou colocar quem lá? Teria de colocar alguém da linha contrária à dele, porque senão seria trocar seis por meia dúzia”.

Fonte: Poder360