Cotidiano

Famílias ribeirinhas do Bailique são cadastradas em programas sociais do Governo do Amapá





Equipes estiveram de 24 a 30 de agosto auxiliando 1,3 mil famílias no arquipélago que tiveram suas atividades econômicas prejudicadas pela pandemia

Durante as ações humanitárias no Arquipélago do Bailique com distribuição de alimentos do Programa Comida em Casa, visitas de equipes técnicas Secretaria de Inclusão e Mobilização Social (SIMS) mapearam e cadastraram diversas famílias em programas sociais do Governo do Amapá.

As equipes de governo estiveram de 24 a 30 de agosto auxiliando cerca de 1,3 mil famílias nas comunidades ribeirinhas do Arquipélago que tiveram suas atividades econômicas prejudicadas pela pandemia. No período, as comunidades tiveram assistência de três programas sociais do Estado: Comida em casa, Renda e Luz para Viver Melhor.

As ações também tiveram como objetivo informar a população de Bailique sobre os programas sociais do Governo do Estado, além de cadastros para o Programa Renda para viver melhor.

Nas visitas técnicas para diagnosticar famílias em situação de vulnerabilidade e risco alimentar, para que pudessem receber as cestas do Programa Comida em Casa, as equipes da SIMS também mapearam beneficiários para os programas Renda e Luz para Viver Melhor.

Renda para Viver Melhor

O programa, um dos mais abrangentes de assistência social do Estado, também foi levado na ação Bailique. Famílias com o perfil do Renda para Viver Melhor entraram para a base de dados da SIMS.

Durante as visitas, várias famílias desassistidas de programas sociais e que não tinham nenhuma renda para poder garantir qualidade de vida foram mapeadas. Assim, foi possível diagnosticar previamente a demanda que o Bailique carecia para cadastro do Programa Renda.

Segundo a SIMS, o atendimento direto nas comunidades facilita o acesso aos programas e é possível aumentar significativamente o número de amapaenses cadastrados.

“Programas de assistência social são sempre muito bem-vindos, principalmente em comunidades ribeirinhas como o Bailique, onde há muitas ausências, como água, energia. Há vulnerabilidade e falta informação, então, receber uma equipe que esclareça a população é de extrema importância”, enfatizou a professora Rosiane Barbosa, que leciona na comunidade de Progresso no Bailique desde 2019.

Luz para Viver Melhor

O programa foi levado ao Bailique através de visitas técnicas, onde foi possível fazer um levantamento das comunidades que já recebem a cota de óleo diesel pelo Governo do Estado e identificar melhorias através do diálogo direto com seus representantes. Hoje, 20 comunidades no Bailique são atendidas pelo programa.

“Todos os meses, o Governo do Estado nos informa sobre a chegada do óleo, algo importante para que recebamos o benefício tendo em vista que a comunicação é difícil no Bailique, temos todos os dias nossa cota de energia garantida. E nesse diálogo direto também podemos entender a possibilidade de ter essa cota aumentada”, relatou a representante da Comunidade Bom jardim, Irazalva Santana.

Fonte: Portal Governo do Amapá - Criles Monteiro