Política

Bolsonaro passa a chamar voto impresso de voto democrático: É melhor





Em novo discurso em defesa do voto impresso, o presidente Jair Bolsonarodisse nesta 2ª feira (27.jul.2021) que “é melhor” chamar a medida de “voto democrático“. Em conversa com apoiadores, o presidente reforçou que a proposta garantirá “eleições democráticas“.

Vamos ter o voto democrático ano que vem ou não?“, questionou Bolsonaro aos apoiadores na saída do Palácio da Alvorada. Um apoiador perguntou se o chefe do Executivo se referia ao “voto auditável“, expressão também usada pelo presidente. “Democrático. Vamos falar democrático, é melhor“, respondeu o presidente.

Bolsonaro também voltou a dizer que eleições anteriores foram alvo de fraude. “Tá na cara que querem fraudar. De novo. Geralmente quem está no poder faz as artimanhas, eu tô fazendo justamente o contrário. Eleições democráticas são aquelas que você confirma o seu voto“, disse.

O presidente afirmou que a live para apresentar supostas provas de fraudes nas eleições de 2014 e 2018 poderá ser feita no Ministério da Justiça.

“Na 5ª feira, 19 horas, a minha live vai ser talvez lá no Ministério da Justiça. A gente vai expor todas as questões que levam a gente a ter uma eleição democrática ano que vem.” Segundo Bolsonaro, ainda faltam dados a serem fornecidos pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), mas já conta com o suficiente para “demonstrar claramente” indícios de fraudes.

Fundão

Bolsonaro afirmou nesta 2ª que veterá o “excesso” do fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões aprovado pelo Congresso. O veto já havia sido anunciado pelo presidente. O chefe do Executivo, no entanto, disse aos apoiadores nesta manhã que o corte no fundo deve ser R$ 2 bilhões.

Deixar claro uma coisa, vai ser vetado o excesso do que a lei garante, tá? A lei [garante] quase R$ 4 bilhões do fundo, o extra R$2 bilhões vai ser vetado. Se eu vetar o que está na lei, eu estou incurso crime de responsabilidade. Espero não apanhar do pessoal aí como sempre“, declarou.

Fonte: Poder360