Política

Promessas de Waldez: governador do Amapá cumpriu 20% dos compromissos de campanha após 2 anos e meio de mandato





Levantamento do G1 aponta que 70% dos compromissos ainda não foi cumprido. Gestor conseguiu implantar central de diagnósticos e o novo marco regulatório mineral no último ano.

Waldez Góes, governador do Amapá — Foto: GEA/Divulgação

Waldez Góes, governador do Amapá — Foto: GEA/Divulgação 

Em dois anos e meio de mandato, o governador do AmapáWaldez Góes (PDT) cumpriu quase 20% das promessas feitas por ele durante a campanha eleitoral de 2018. A avaliação consta no projeto “As Promessas dos Políticos” do G1. Em números absolutos, o resultado da avaliação das compromissos é: 

  • Total de promessas: 36
  • Cumpridas: 5
  • Cumpridas em parte: 6
  • Não cumpridas ainda: 25

Na atualização anterior, após um ano de gestão, o percentual era de 8% (só 3 promessas haviam sido cumpridas). Neste ano, a pandemia da Covid-19 foi um argumento usado pelo governo como motivo para não conseguir cumprir pelo menos 6 promessas no Amapá. 

A condição sanitária também foi usada por outros gestores estaduais. Pelo país, os governadores cumpriram um de cada quatro compromissos de campanha, chegando aos 26%

Entre o 1º ano do mandato e a avaliação feita neste mês de julho, quatro promessas mudaram de status

  • foi elaborado o novo marco regulatório para o setor mineral;
  • a Central de Diagnósticos e Laudos foi implantada;
  • passaram a ser realizadas cirurgias oftalmológicas, mas a média de procedimentos por mês ainda não atende ao que foi anunciado como compromisso;
  • Politec de Santana passou a funcionar em novo prédio em abril, mas ainda não terminou a obra do Ciosp no município.

Conforme o governo, a Central de Diagnósticos e Laudos passou a funcionar em maio deste ano. Para conseguir implantar a unidade, foram instalados três tomógrafos e cinco centrais de revelação (equipamento que digitaliza a imagem radiográfica). Os serviços são direcionados para pacientes do Hospital de Emergências (HE) e do Hospital de Clínicas Alberto Lima (Hcal). 

Idoso recebe atendimento no "Programa Mais Visão", nos Capuchinhos, em Macapá — Foto: Maksuel Martins/GEA/Divulgação

Idoso recebe atendimento no "Programa Mais Visão", nos Capuchinhos, em Macapá — Foto: Maksuel Martins/GEA/Divulgação 

Ainda na área da saúde, o mandato conseguiu passar a oferecer cirurgias oftalmológicas na rede pública. Em setembro de 2020, o governo implantou o programa Mais Visão e, desde então são feitas, em média, 1,4 mil cirurgias oftalmológicas por mês, abaixo da meta prometida. A demanda atual é de 20 mil pessoas e é prevista uma ampliação desses atendimentos ainda em 2021. 

Em torno de 70% das promessas feitas em 2018 ainda não foram cumpridas na metade do mandato. Uma delas, por exemplo, é o fim de salários parcelados. Desde 2016, os servidores públicos efetivos recebem 60% dos vencimentos no fim do mês vigente e 40% até o dia 10 do mês subsequente. 

O governo diz que a crise fiscal perdura e, por isso, ainda não foi possível pagar a folha do funcionalismo público do Amapá integralmente no mesmo dia. 

Obra de ampliação do HE de Macapá — Foto: GEA/Divulgação

Obra de ampliação do HE de Macapá — Foto: GEA/Divulgação 

Waldez também declarou que priorizaria a construção de um novo pronto socorro no Amapá. No entanto, ainda não há um novo hospital. O governo diz que atualmente trabalha numa reforma no prédio do Hospital de Emergências (HE) que fica no Centro de Macapá

A previsão é de ampliação de 100% no número de leitos. Segundo o governo, a primeira etapa deve ser concluída ainda neste mês de julho, e a segunda até dezembro. Em um outro momento, o trabalho irá se concentrar no HE da Zona Norte, de acordo com o governo. 

G1 acompanha durante os quatro anos de mandato os cumprimentos das promessas de campanha dos políticos. 

Quais são os critérios para medir as promessas?

  • Não cumpriu ainda: quando o que foi prometido não foi realizado e não está valendo/em funcionamento
  • Em parte: quando a promessa foi cumprida parcialmente, com pendências
  • Cumpriu: quando a promessa foi totalmente cumprida, sem pendências

Ou seja, se a promessa é inaugurar uma obra, o status é "cumpriu" apenas se a obra já tiver sido inaugurada; caso contrário, é "não cumpriu". Se a promessa é construir 10 hospitais e 5 já foram inaugurados, o status é "em parte". Se a promessa é inaugurar 10 km de uma rodovia e 5 km já foram entregues à população, o status é "em parte".

 

Fonte: G1 Amapá - Fabiana Figueiredo